Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Coca-Cola, Ypê e Perdigão lideram ranking de marcas mais presentes nas casas brasileiras em 2023

Coca-Cola, Ypê e Perdigão lideram o ranking de marcas com maior presença e frequência nos lares brasileiros, refletindo o desempenho do consumo em 2023, o melhor desde o período pré-pandemia. O relatório Brand Footprint 2024, lançado pela Kantar na última terça-feira (21), destaca o avanço dessas empresas no mercado nacional. A pesquisa da Kantar revela que as top 5 marcas tiveram avanços significativos, aumentando sua presença e frequência nas casas dos consumidores. A Coca-Cola, que lidera o ranking pelo 12º ano consecutivo, reafirma seu posicionamento sólido no mercado. O estudo também mostra um aumento de 20% no consumo dentro e fora do lar no último trimestre de 2023, em comparação com o primeiro trimestre de 2020. O relatório aponta que 63% das marcas analisadas cresceram em 2023, com destaque para a maior penetração nos lares brasileiros. Elen Wedemann, CEO da Kantar Worldpanel, comentou que o brasileiro gastou, em média, 14,6% a mais por compra em 2023 em comparação a 2022, e as compras de abastecimento ganharam espaço. A classe DE foi a que mais aumentou a frequência de compra, com um incremento de 8%. Entre as 50 marcas que mais se destacaram, 17 cresceram por meio de novas subcategorias ou submarcas, e outras 51 avançaram pela maior frequência de compra. No segmento de e-commerce, a penetração cresceu para 22,2% em 2023, com 13 milhões de lares compradores. A Natura lidera o ranking de e-commerce, seguida pela Coca-Cola e Ypê. Wedemann sugere que as marcas devem se diferenciar e estabelecer conexões emocionais com os consumidores para se destacar no mercado.

Shein e Shopee aceleram nacionalização das vendas no Brasil e investem em expansão

Shein e Shopee, gigantes do varejo asiático no Brasil, destacaram a nacionalização das transações no primeiro dia do Digitail Conference, realizado pela Gouvêa Experience em São Paulo, nos dias 22 e 23 de maio. Raul Jacob, diretor de Marketing da Shein, anunciou que a empresa pretende que 85% das vendas sejam realizadas por produtores brasileiros até 2026. Para isso, a Shein está expandindo suas operações para mais cinco estados, incluindo Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Jacob explicou que a Shein está facilitando a logística para produtores fora de São Paulo, oferecendo o mesmo nível de entrega e eficiência. Na palestra “Made in Brazil: o fenômeno Shein também no marketplace”, ele destacou que a empresa já alcançou 55% das vendas por vendedores brasileiros. Ele afirmou que o marketplace e a produção local são os focos principais da empresa, com o objetivo de operar com a mesma qualidade e força das importações, tornando a Shein uma empresa 100% brasileira. Rodrigo Farah, head de Branding e Live Commerce da Shopee, revelou que 90% das transações na plataforma são nacionais, envolvendo vendedores e consumidores brasileiros. Ele mencionou que a Shopee tem 3 milhões de empreendedores cadastrados no Brasil, e a taxação sobre produtos importados não afetará os negócios. Farah enfatizou que a estratégia de marketing da Shopee permanecerá agressiva, com investimentos em live commerce e marketing de afiliados para atrair mais usuários mensais. Farah também anunciou que a Shopee liberará o botão de live para 2 milhões de afiliados, com um plano de melhor comissionamento para quem indicar produtos durante as transmissões ao vivo. Ele destacou que, na China, a receita da Shopee com live commerce atingiu US$ 562 bilhões em 2023, com projeções de US$ 843 bilhões para o próximo ano. No Brasil, a empresa aumentou de 10 para 250 lives diárias, com pesquisas mostrando que vendedores que utilizam a ferramenta vendem cinco vezes mais e ampliam a base de seguidores. Em 6 de junho, as ofertas da Shopee serão transmitidas ao vivo pelo canal da Band, seguindo uma estratégia crescente entre as empresas.

Até sábado, mais de 20 empresas ofertam produtos sem imposto em Campo Grande

Teve início em Campo Grande mais uma edição do Feirão do Imposto, organizada pelo Conselho de Jovens Empresários (CJE) da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG). Durante esta semana, mais de 20 empresas dos setores alimentício, cosméticos, vestuário, farmacêutico, acessórios e serviços de beleza estão participando da iniciativa. O objetivo é chamar a atenção para os altos impostos que afetam consumidores e empresários. A coordenadora do Feirão do Imposto 2024, Beatriz Jhonson, afirmou que a expectativa é impactar mais de 10 mil pessoas. Entre as atrações está uma ação lúdica no Patio Central, onde um touro mecânico adesivado com informações tributárias simboliza o sistema tributário brasileiro. A atividade visa demonstrar o quanto empresários e trabalhadores aguentam a carga tributária, ilustrando o impacto dos impostos em suas vidas. A maior parte das empresas realizará suas ações no sábado, considerado o Dia D do Feirão do Imposto. Além de Mato Grosso do Sul, outros 16 estados brasileiros estão participando da campanha, criada pela Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje). A empresária Amanda Cardinal, por exemplo, oferece descontos de até 60 reais em suas lojas de joias e roupas íntimas para mostrar aos consumidores a diferença que a retirada de impostos faz nos preços. Mais lojas participarão no shopping na região central de Campo Grande. Wesley Araújo, Coordenador de Marketing do Pátio Central Shopping, destacou que mais de 10 lojistas, incluindo praça de alimentação, vestuário, calçados e acessórios, estão envolvidos. A iniciativa não só atrai fluxo de consumidores, mas também melhora as vendas ao oferecer produtos a preços reduzidos. Segundo o Impostômetro, até 20 de maio, os brasileiros já pagaram R$ 1,4 trilhão em impostos, com os sul-mato-grossenses contribuindo com mais de R$ 1,5 bilhão.

MS garante R$ 3 bilhões em investimentos internacionais e mira R$ 27 bilhões até 2025

O governo de Mato Grosso do Sul projeta atrair R$ 27 bilhões em investimentos internacionais até o final de 2025. Desse total, R$ 3 bilhões já estão garantidos como resultado imediato das reuniões realizadas em Nova Iorque com empreendedores e investidores internacionais. Durante a última semana, entre 12 e 17 de maio, o governador Eduardo Riedel esteve nos Estados Unidos para encontros oficiais com potenciais investidores de diversos países, buscando financiamento para projetos de desenvolvimento econômico no estado. Pelo menos 150 empresários, incluindo banqueiros e CEOs, participaram do evento MS Day, em Nova Iorque, para conhecer a agenda de privatizações, concessões e parcerias público-privadas (PPPs) propostas pelo estado. Os investimentos já confirmados, somando R$ 3 bilhões, serão destinados a áreas como logística, agro, meio ambiente e saúde pública, abrangendo setores como produção de colágeno bovino, bioenergia e papel. Atualmente, Mato Grosso do Sul possui R$ 10 bilhões em parcerias estratégicas em execução nas áreas de saneamento básico, concessão de rodovias, infovia digital e energia fotovoltaica. Os encontros foram promovidos durante a Brazilian Week, organizada pela Brazilian-American Chamber of Commerce, que também homenageou personalidades do ano do Brasil e dos Estados Unidos. Mato Grosso do Sul foi apresentado como uma terra promissora para negócios, destacando o crescimento recorde da indústria de transformação e do PIB do agronegócio, além de ser o segundo estado do país em investimento público e o terceiro com a menor taxa de pobreza extrema. O governador Riedel destacou o desempenho econômico de Mato Grosso do Sul em encontros empresariais com representantes do setor financeiro e grandes estruturadores de infraestrutura. Ele ressaltou que o crescimento econômico do estado atinge índices comparáveis às maiores economias do mundo, o que credencia Mato Grosso do Sul para discussões em fóruns econômicos globais. Uma das novidades do MS Day foi a tentativa de atrair capital privado internacional para investimentos na saúde pública, com foco na reestruturação e melhoria dos atendimentos hospitalares em várias cidades. Estudos estão sendo concluídos para definir os detalhes das PPPs, com o leilão previsto para o primeiro semestre de 2025. O maior investimento deve ser para o Hospital Regional de Campo Grande. Para melhorar as rodovias no estado, foram apresentados projetos de concessão para as BRs 262, 267 e MS-040/MS-338, com leilão previsto para o segundo semestre deste ano e investimento estrutural de R$ 5,6 bilhões.

Eldorado Brasil Celulose registra receita líquida de R$ 1,4 bilhão no primeiro trimestre de 2024

A Eldorado Brasil Celulose divulgou os resultados do primeiro trimestre de 2024, destacando uma receita líquida de R$ 1,4 bilhão. A empresa registrou um lucro líquido de R$ 306 milhões e um EBITDA de R$ 734 milhões, com uma margem de 52%. A dívida líquida continuou a tendência de queda dos últimos trimestres, atingindo R$ 1,069 bilhão, 53,7% inferior ao mesmo período do ano passado, com alavancagem de 0,44 vez. “O destaque do primeiro trimestre foi o desempenho operacional com números consistentes de produção e vendas. O ambiente favorável no mercado, com aumentos nos preços, contribuiu para mais um trimestre positivo”, avaliou Fernando Storchi, CFO da Eldorado Brasil Celulose. Em termos de produção e vendas, a Eldorado alcançou seu melhor primeiro trimestre desde o início das operações, produzindo 449 mil toneladas de celulose. As vendas totalizaram 451 mil toneladas. O custo-caixa foi de R$ 860 por tonelada, alinhado com o último trimestre de 2023. Na área de sustentabilidade, a empresa anunciou a remoção de aproximadamente 42 milhões de toneladas de carbono equivalente da atmosfera ao longo de 11 anos de operação. O relatório de sustentabilidade será divulgado durante o segundo trimestre do ano.